Esposa pobre

Hoje resolvi compartilhar com vocês minha condição de estudante e quase que por conseqüência, pobre!   :)

Quando chega junho, vem junto dia dos namorados e aniversário do meu marido. Eu adoro sair e comprar um monte de coisas para ele, até porque vocês sabem como são os homens, não gastam com eles mesmos! Daí eu vou lá, compro um monte de roupas bonitas e depois ainda tenho que escutá-lo reclamando que eu gastei muito dinheiro com ele, mas no fundo sei que fica todo feliz, então nem ligo!

Esse período de estudos ilustra realmente uma equação engraçada, pois se de um lado meu dindin diminui, do outro a sabedoria aumenta. E como é bom colher os frutos, mas isso é assunto para outro post. O que é importante hoje é a dica que quero dar às estudantes: It’s not all about money. Pude ver isso nos últimos dias quando me perguntei o que comprar de presente para meu marido.

Depois de me questionar muito sobre o assunto, desestressei. No dia dos namorados resolvi presenteá-lo tocando ao piano a música Mariage d’amour, que é bem romântica. Ele amou.

Já para o aniversário resolvi que iria fazer um bolo, o que para mim é definitivamente mais difícil do que tocar piano. Foi O desafio!  Fui até a banca de revistas sem pressa e fiquei ali cerca meia hora olhando as revistinhas de receitas, amarradona. O tio da banca até disse que meu marido era um homem de sorte por ter uma esposa tão dedicada e prendada. Dedicada sim, mas prendada? Mal sabe ele que não tenho esses dotes “amélios” e que para fazer o bolo transformei a cozinha em candidata a Hell’s Kitchen.

Se o que vale é a intenção…

8 Comments

  1. Posted 02/07/10 at 2:07 pm | Permalink | Responder

    é verdade Stella, concordo contigo quando você diz que : “pois se de um lado meu dindin diminui, do outro a sabedoria aumenta”.
    E a sabedoria é algo que ninguém pode tirar da gente!

    E meu problema é esse o investimento nos livros! Quando sobra um dindinzinho, la vou eu toda feliz comprar uns livrinhos!! hehehehe

    beijo! :*

    • stellarivello
      Posted 02/07/10 at 5:11 pm | Permalink

      Oi, Bea, tu tens toda a razão!
      O resultado disso é a tua formação como alguém que fará diferença na sociedade.
      Quando eu morava na Itália, resolvi trabalhar em uma pizzaria só para poder comprar aqueles livros que me faziam babar nas livrarias. Os funcionários nem acreditavam, pois de um dia para o outro aquela guria sem uma lira sequer que vivia visitando as livrarias e não comprando nada, de repente leva uma boa fatia de literatura italiana para casa. ;D
      Ainda sinto aquela sensação boa.

  2. Posted 02/07/10 at 2:48 pm | Permalink | Responder

    É muito gostoso dar presentes assim tão simples, mas cheios de romantismo, amor, carinho e dedicação. Vale mais que presentes comprados… hehehe

    Deu certo o bolo, afinal?

    Beijos!

    • stellarivello
      Posted 02/07/10 at 5:16 pm | Permalink

      De fato, Claudini, as melhores coisas da vida não podem ser compradas. O único perhaps nessa história toda foi o tal do romantismo, que não é lááá meu forte. Meu professor de piano brigava comigo dizendo “Stella, a música É romântica. Pára de tentar desmontar o piano!”. Tive que reencontrar minha doçura para fazer jus à música, que é tão linda. Bj!

  3. soninha
    Posted 02/07/10 at 4:17 pm | Permalink | Responder

    O bolo ficou uma delícia, fiquei toda orgulhosa da filhota!
    e o grande lance foi que a Rafinha ajudou, feliz!

    • stellarivello
      Posted 02/07/10 at 5:22 pm | Permalink

      Ela ajudou sim, bem linda! Contou os minutos em que a batedeira devia ficar ligada, ajudou a espalhar o glacê, enrolou o pai dela no telefone para ele demorar mais a chegar em casa e dar tempo de terminarmos, escondeu os ingredientes correndo. E ainda me perguntava, toda em dúvida: “Mamãe, a gente não pode mentir, mas essa mentirinha pode, né?” :)

  4. Heloisa
    Posted 02/07/10 at 7:34 pm | Permalink | Responder

    Vencendo barreiras, hein?… mas cozinha é so seguir a receita, né? Descobri isso na Epagri :)
    Amiga, da próxima vez salva o dindin do livrinho da banca e procura a receita na internet.
    Nesse site: http://tudogostoso.uol.com.br/
    O bom é que vc pode ler o que o pessoal achou da receita, quais foram as dificuldades, o que não dá certo, o que dá certo. Amo internet!

  5. stellarivello
    Posted 02/07/10 at 7:57 pm | Permalink | Responder

    Ai, Helô, tu falas de um jeito que me deixa deprimida! Hahah Eu também gosto de internet, tá? Porém me dá muita agonia ter que ficar anotando ou imprimindo receita. Gosto de ter o livrinho ali comigo na cozinha. Em tempo: custou só R$ 0,99. Uma barganha! ;) Mas adorei o site, viu?

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: