Dosando o medo

Tu tens medo de que?
Eu tenho medo de formiga, de que cortem meu cabelo errado, de ser mal interpretada pelas pessoas que amo, de mim…

De qualquer maneira, gostaria de ter um pouco mais desse sentimento. Aquele medinho saudável, que te poupa de atitudes impiedosas, que te faz raciocinar. O ímpeto que tanto nos ajuda em diversas situações, nos faz brigar por besteira, fazer escolhas equivocadas, atribuiu-nos a pseudo vulnerabilidade. E considero isso bastante triste.

Hoje, no alto de meus 31 anos, descobri que tudo é uma questão de equilíbrio, mas para que isso aconteça é preciso paciência. Esta sim é uma bela virtude que parei de aceitar somente como dogma, percebendo enfim ser uma aliada e não uma adversária. Toda vez em que o sangue italiano ferve, venho aqui para o meu cantinho e  fico escutando minhas musiquinhas, jogando (haja) PACIÊNCIA bem calminha, tentando não quebrar a TV, o computador, enfim…fazendo jus aos meus lindos neurônios, que não estão ali à toa.

Precisei virar balzaquiana para ter noção de que nem todas as brigas valem a pena. Hoje, quando me vejo vestindo a armadura de gladiadora, me obrigo a ter aquele minuto de reflexão em que me pergunto se a fera que vou enfrentar merece ou não minha atenção.
Mas…e quando a fera somos nós mesmos?

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: