Senhora…Senhora?

Todos os dias recebo ligações de telemarketing. É bem raro eu atender se não conheço o número, mas ontem, depois de 10 ligações seguidas, fiquei curiosa e resolvi ver do que se tratava. Pois bem, era de uma editora AGAIN. Eu sou super educada, paciente, vou contra todos os meus instintos explosivos arianos porque lembro que já fui corretora de imóveis e já passei por isso, logo tento manter a calma. Mas devo dizer que é um exercício mais difícil do que fazer aquele jardinzinho do Buda.

Comecei a ficar com pena da mulher porque ela parecia nervosa, como se alguém a estivesse observando. Suas palavras não saiam direito, seu português não era muito bom, mas ela tinha uma enorme força de vontade. De cada 5 palavras que dizia, uma era “Senhora”, quase como um tique. Eu explicava que não iria assinar pois sempre faço minhas assinaturas com o bônus do cartão e etc, porém ela não largava o osso de jeito nenhum. E eu, que já sou meio coração mole com essas coisas, já estava quase assinando, mas meu marido me olhava com cara de brabo e eu me continha.

A operadora me dizia que eu ia ganhar a camiseta da copa do mundo para poder torcer com a família, dizia que tudo ia ser mais divertido e legal se eu assinasse a revista, em como eu ia ser feliz, em como minha vida iria mudar…um exagero total que beirava a tragicomédia. Eu não sei dizer se era o desespero da funcionária, a pressão, a falta de noção ou a convicção que faziam a conversa dela ser extremamente engraçada a ponto de eu ligar o viva voz para o meu marido escutar.

A gente ria tanto, tanto, tanto, que nos faltava o fôlego. Ela dizia: “Ah, a Senhora já assinou essa revista de viagem, né Senhora? Hein, Senhora? foi, né, Senhora?” e eu explicava que se assinasse tudo o que eu quisesse não iria mais poder viajar, e ela: “Mas informação é tudo, né, Senhora? Viajar com o maridão é uma ótima pedida, hein, Senhora? imagina só que bom vocês conhecendo o Brasil inteiro, Senhora…imagina, Senhora, a Senhora aproveitando as promoções e curtindo esse friozinho numa viagem na serra, Senhora.”

“Senhora? Senhora?” Eu queria responder, mas não conseguia!!!! Sabe quando tu estás rindo tanto que não consegues falar? Eu estava assim! E o Gustavo cho-ra-va de tanto rir. Eu estava com muita peninha dela!! Quando retomei o ar, disse-lhe que iria desligar o telefone porque não consigo desligar na cara de ninguém. Depois disso expliquei mais umas 6 ou 7 vezes que não iria assinar as revistas, que era melhor ela desistir de mim e usar seu tempo para trabalhar outros clientes e só assim ela finalizou a ligação em comum acordo.

Quando desliguei meu marido me perguntou, bem calmo: “Por que não assinaste as revistas logo no começo?”    Aaaaai, que ódio!!!!

One Comment

  1. Nani
    Posted 06/05/10 at 10:24 pm | Permalink | Responder

    Hahahahaha!
    Senhora morri de rir Senhora!

    Beijinho Néi!

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: