Saindo da casinha

Quem me conhece sabe que não sou muito de sair, que não sou da balada (aliás, na minha época essa palavra sequer existia), que não curto nights em geral. E isso não é porque tenho 31 anos e não 18, mas simplesmente porque eu fico com sono e fome.

Cansei de ir dormir de vestido e maquiada, pois não aguentava a interminável espera pela festa. Quando meus amigos passavam na minha casa, eu já estava no quinto sono. As vezes eu resistia firme e forte até a hora de sair, mas daí quando chegava nas danceterias, me dava fome. Tinha uma vontade avassaladora de sair dali correndo e comer um dogão, um “xis” qualquer coisa, sabe?

Nunca vou me esquecer de uma viagem “bate-volta” que fiz com meus amigos para a festa do pinhão. Eu tinha 17 anos e juro que não sei por que cargas d’água resolvi embarcar naquela cilada! Acho que, como meus amigos eram legais, eu achei que a idéia também fosse, mas…não foi! Meus amigos estavam todos em casais, menos eu (que já era apaixonada pelo meu marido, mas ele me achava uma adolescente mimada e louca na época). Moral da história: todo mundo feliz curtindo o friozinho e eu de mau humor, com sono e com fome!!! Acho que aquele episódio ajudou no meu trauma.

Claro que hoje sou bem resolvida em relação à isso. Contudo, se for para sair, que seja para comer bem, com pessoas interessantes, ouvir música de qualidade, beber um bom vinho e voltar quando eu quiser. Vocês devem estar me achando uma velha, não? Bom, não me vejo assim, mas esses dias minha filha disse na frente dos coleguinhas todos que eu tinha entrado na 3ª idade pq fiz aniversário.

Sei lá, é que sair para mim sempre foi SAIR MESMO. É ter que arrumar a mala, passaporte, passagens e é claro, sair também pode ser básico como estar “fora da casinha” por alguns instantes.   :)

5 Comments

  1. soninha
    Posted 01/05/10 at 11:00 pm | Permalink | Responder

    E vem desde que você era pequenina.
    Lembro-me uma vez de que tinha uma festinha de aniversário de um vizinho e eu arrumei você toda linda, que por sinal estava toda felizinha pois adorava uma comidinha de aniversário. Você tinha dois aninhos e meio. Deixei você vendo TV, enquanto eu me arrumava. Pois bem, eram QUATRO HORAS da tarde, você dormiu e não teve jeito. Acordou lépida e fagueira às 7h da MANHÃ perguntando onde estavam os docinhos!!

    • stellarivello
      Posted 06/05/10 at 11:15 am | Permalink

      Meu Deus, mãe, eu posso me ver com 2 anos e hoje e concluir que não houve muita mudança nesse aspecto. Mas, cá entre nós, existe algo melhor do que fazer um pratinho com brigadeiros, cachorrinho quente e afins?

  2. Helena
    Posted 03/05/10 at 1:38 am | Permalink | Responder

    Rs…não esquece que viemos do mesmo ninho…rs…Na verdade eu já sai bastante, mas nao muito…e muitas vezes, ficava torcendo pra chegar a hora de ir embora, deitar na minha casa quentinha, esticar as canelas e me enterrar num sanduíche ou no resto da janta!! Muitas vezes fui chamada de velha pelos amigos!! Imagina, aquele frio e a gente ter que ficar linda e maravilhosa em cima de um salto enorme aturando cantanda do tipo “vc vem sempre aqui?”por isso, também sou da mesma opinião, um vinho…um bom papo…ainda mais namorando ou casada, né, amiga, a gente já é feliz assim!

    • stellarivello
      Posted 06/05/10 at 11:25 am | Permalink

      É verdade, Helena. Lembro de uma vez que eu saí com vcs e me deu sono e fome, daí peguei a chave do carro do Guigo, comprei um lanchinho no posto de gasolina e fiquei esperando no carro dormindo, amarradona. E quanto à isso, me lembrei de uma coisa engraçada: na Itália, depois que saía de uma danceteria, ia tomar um bom cappuccino e comer un cornetto (croissant) com os amigos e aqui a gente passava no Rota, ali no Itacorubi para comer um “X tudo”. Diferenças culturais à parte, as duas maneiras têm minha aprovação. :)

  3. Anna
    Posted 06/05/10 at 7:44 pm | Permalink | Responder

    Stella, deve ser um mal de arianas…eu detesto “NIGH” é aquele aperto, cheiro de cigarro (Ta , agora não mais, mas na época que eu ainda me arriscava sim), tu sai no frio encasacada chega no lugar frita de calor, os caras enchendo a paciência (“Oi linda” ARGH. Eu sempre chegava nos lugares e começava a me dar um sono e eu só pensava no meu edredom, no meu travesseiro fofinho. Meu negócio é restaurante com vinho e comida, a hr que bate o sono posso ir pra minha caminha com edredom e ar condicionado!!!! Simmm, tenho alma de velho com orgulho!!!

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: