Não joguem fora

Estava eu, dia desses, meio jururú. Nesse dia fui almoçar na casa da minha mãe e lá chegando, acho uma caixa cheia de cartas em cima da minha antiga cama. Era uma caixa enorme com todas as cartinhas que minhas amigas me escreviam quando eu tinha uns 16, 17 anos! E eis o fato: fui uma adolescente típica! Daquelas ridículas mesmo, mas como já disse aqui: menos mal, assim não corro o risco de chegar aos 40 querendo ter 20. Qdo eu chegar aos 40, vou mais é querer ter 40, ué! Com tudo de bom que isso traz.

Mas voltemos à caixa. Não preciso nem dizer o quanto ri lendo algumas cartas. Eu e minhas amigas tratávamos nossos problemas como se fossem a coisa mais importante do mundo! Qualquer coisinha tornava-se uma história surreal e única! Mas junto com essas cartas, achei algumas de ex-namorados e, curiosa que sou, abri umas só para dar uma lidinha básica.  Não pude evitar e tenho que confessar…

…que ADOREI! Nunca me senti tão linda! Um monte de poesias, declarações, músicas para mim! Ai, que demais! Meu beicinho jururú logo transformou-se em um belo sorriso. Ainda bem que não joguei fora. Não teria porque fazê-lo. É um pouco da minha juventude que vou guardar com carinho, faz parte da minha história. Depois da leitura, guardei a caixa e quem sabe leio mais um pouquinho para os meus netinhos quando estiver velhinha?

Quem não gostou muito foi meu marido. Ficou indignado! Saiu do quarto P da vida! Mas ele sabe que só ele tem espaço no meu coração e tudo o que ele representa para mim nunca será ameaçado por nenhuma cartinha adolescente e nem por nada nesse mundo.

2 Comments

  1. soniarivello
    Posted 14/12/09 at 6:24 pm | Permalink | Responder

    Agradeça a mim, que tem mania de museu!

  2. Posted 21/12/09 at 10:30 am | Permalink | Responder

    eu já teria jogado tudo fora há horas, bjs

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: