Verbo “Molengar”

O verbo até já existe e segundo o dicionário Aurélio, consiste em andar à maneira de molenga. Contudo, minha filha o usa para designar outra coisa: o ato de ganhar chamego da mamãe.

Tudo começou quando eu tinha que sair de casa muito cedo para ir à imobiliária. Minha filha, já sabendo que passaria o dia inteiro longe de mim, inventou o molengo, que garantiria à nós duas momentos de diversão e carinho que supririam qualquer distância que estivesse por vir. A primeira coisa que ela diz quando eu a acordo é: “Mamããããeee…o nosso molengo!!!!”, então eu a pego no colo, levo até a minha cama e aí começa o ritual de tous les jours:

1º) Ir para debaixo das cobertas;
2º) Eu tenho que fingir que estou grávida dela. Ela se encolhe na minha barriga e se faz de neném. Todos os dias o neném muda, pode ser neném foquinha, neném gatinha, neném águia, neném raposinha, cada dia um diferente. Quando o filhote nasce de ovo e não de barriga, ela simula estar dentro de um ovo, encolhida;
3º) Tenho que estar conversando com minhas amigas, quando então sinto as dores do parto. Nessa hora a brincadeira fica super agitada, pois simulamos minha corrida ao hospital da floresta;
4º) Chegando lá, tenho que discutir com o médico metido que na brincadeira alega que não estou fazendo força suficiente para o neném nascer e depois de muito bate-boca, ele acaba tendo que fazer uma cesárea. Mas aqui o ponto alto é a discussão com o médico.
5º) A escolha do nome do neném. Tenho que simular discussões entre a mamãe e o papai, cada um querendo dar um nome mais esdrúxulo que o outro. A cada nome sugerido, a neném chora, só quando chego em Kimberly (socorro) é que ela abre um sorriso e pára.
6º) A hora do batizado. Estamos todos na igreja e ela está dormindo quando o padre, sem dó nem piedade, a batiza jogando água em seu rosto, o que a leva a chorar tudo de novo. A partir daí é um trabalhão para acalmar o neném.

Bom, depois do batizado, já estou acabada e acordamos as duas, prontas para um dia em que ficaremos separadas, mas abastecidas de muito amor. E se não dá tempo porque estou atrasada? Rafaella estipulou a “pena” de um molengo duplo antes de dormirmos. A sapequinha pensa em tudo.

5 Comments

  1. soninharivello
    Posted 25/10/09 at 1:10 pm | Permalink | Responder

    Filha amada, neta amada!

  2. Klenize
    Posted 25/10/09 at 6:14 pm | Permalink | Responder

    Que figurinha!!!! Rsss….

  3. soninharivello
    Posted 26/10/09 at 6:56 pm | Permalink | Responder

    agora que eu metoquei que confundia o seu verbo molengar com bojar!

  4. soninharivello
    Posted 26/10/09 at 6:57 pm | Permalink | Responder

    me toquei

  5. Clarissa
    Posted 09/11/09 at 7:06 pm | Permalink | Responder

    Vc é uma mãe paravilhosa ! Parabéns !

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: