A primeira polenta da polentinha

Costumo dizer que minha filha é fofa como uma polenta, que é minha polentinha. Contudo, a relação de Rafaella com a polenta pode ser traduzida em “uma história de amor”. Quando tem polenta aqui em casa ela chega a comer 3 pratos. É sério! A italianinha vai que vai, mas nem sempre foi assim.

Ano passado levei Rafaella comigo para a Itália e no começo ela era muito enjoada, não comia nada de diferente. Foi assim com a polenta. Meu amigo Carlo havia nos levado para jantar numa dessas festinhas divertidíssimas de cidade pequena que acontecem lá na região da Umbria. Essas festas são o ó do borogodó: festa do vinho, da uva, do queijo tal, do salame tal, do chocolate, do torrone, da era medieval e por aí vai…Em todas elas não faltam galpões enormes com mesas infinitas de comilança e gente que adora beber alegre! Sabe aquele esteriótipo que nós temos em relação aos italianos em festa? Ali ele se confirma.

Rafaella e os doces de polenta em Bergamo
Rafaella e os doces de polenta em Bergamo

Enfim, com todas aquelas opções minha filha não queria comer nada. Daí eu pedi uma polenta campagnola e insisti muito para que ela pelo menos provasse. Nada. Depois de um tempo acho que a fome apareceu e ela provou. Resultado: comeu um pratão enorme de caminhoneiro.

Depois queria outro prato! Fui então comprar e a tragédia aconteceu: “non c’è più polenta, signora, mi dispiace“. Escutei aquela mulher me falar que a polenta havia acabado junto com aquela musiquinha “tã! tã! tã!” do filme Tubarão, sabe? É que eu já sabia que a Rafaella ia ficar triste. O que eu não tinha ideia é que ela ficaria inconsolável!!! Chegou a chorar de soluçar. Dava até pena pq não era manha, ela realmente havia gostado.

O Carletto então disse que daria um jeito, mas não tinha o que fazer! Se não tinha, não tinha e pronto, né? Errado. Dali a 10 minutos surge ele com um pratão de polenta. Fiquei imaginando como ele havia conseguido. “Semplice!” disse-me ele, se achando, naturalmente. Adivinhem? Sua ex-namorada, que ainda era apaixonada por ele, estava trabalhando na cozinha do evento e arranjou mais do que depressa uma polenta no capricho!  (pausa para dizer que os casos amorosos do Carlo botam qualquer novela mexicana no chinelo). Depois desse final feliz e de uma barriguinha cheia de polenta, tio Carlo figura entre os heróis da Rafaella.  :)

3 Comments

  1. Posted 13/08/09 at 5:09 pm | Permalink | Responder

    ADOREI! haha a musiquinha do tubarão foi óteeeeeeeeema hahaha Beijo Stella!

  2. sonia
    Posted 13/08/09 at 7:51 pm | Permalink | Responder

    Amo a minha neta polentíssima!!!!

  3. Rosi
    Posted 30/03/12 at 5:34 pm | Permalink | Responder

    Adoreiiiiiiiii… eu também tenho uma pequena papa polenta lá em casa… hahahaha
    bju

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: